Um jovem liberal brasileiro na IFLRY

Artigo publicado também no site da Juventude Democratas, da RELIAL e do Instituto Friedrich Naumann.

Muito trabalho, muito conhecimento e, principalmente, muita esperança. Foi isso que trouxemos para o Brasil após onze dias de debates na Rússia em meio aos grandes encontros proporcionados pela Federação Internacional de Juventudes Liberais (IFLRY).

A federação, já consagrada após seus 31 anos de existência – foi fundada em 1979 – e que conta hoje com mais de 100 organizações membro estando presente em todos os continentes do planeta, realizou em São Petersburgo entre os dias primeiro e onze de agosto um seminário de formação sobre inclusão de minorias, a reunião de seu comitê executivo, de sua diretoria e sua grande assembleia geral, tendo reunido por lá mais representantes de mais de 40 países.

Participamos, eu e Henrique Sartori – o vice presidente para relações internacionais da Juventude Democratas -, e lançamos a minha candidatura ao cargo de tesoureiro da IFLRY – que estava vago junto ao de vice presidente.

A importância da federação é auto-explicativa, por sua área de abrangência e tempo de existência. A do seu tesoureiro, tão grande quanto. É a gestão de possíveis recursos das maiores fundações do planeta, organizações governamentais e grandes políticos que fazem acontecer eventos por todo o planeta – o próximo será no Líbano – incluindo a participação no COP15, em Copenhagen, onde a IFLRY foi a única organização de jovens liberais presente.

O seminário foi fantástico. Permitiu a troca de experiências do que é feito nos mais diversos países do globo e que, mesmo estando em cenários totalmente diferentes, garantem insights para novos projetos em nossas organizações locais.

A reunião do comitê executivo ídem. Colocou na mesma mesa jovens liberais de todos os cantos que, com o objetivo único da liberdade, debateram exaustivamente planos e ações para a federação.

Nas reuniões da direção foi dado um exemplo de democracia. O papel de executar as deliberações das demais reuniões mostrou como deveria ser gerida toda e qualquer instituição – inclusive os governos! De forma horizontalizada, todas as minorias – e maiorias – foram respeitadas.

A assembleia geral, graças a muito trabalho, foi um sucesso para a IFLRY e para nós, brasileiros liberais da Juventude Democratas.

Vimos o canadense Mateusz Trybowski ser eleito como vice presidente contra o candidato bulgaro e fui eleito, com 29 votos contra 24, para o cargo de tesoureiro desta Federação Internacional de Juventudes Liberais.

Pela primeira vez desde a fundação da organização um brasileiro ocupa um dos três cargos principais de sua diretoria – presidente, secretário geral e tesoureiro.

Como liberal, brasileiro e ativista da Juventude Democratas, estou orgulhoso com a oportunidade. Como freedom fighter – repetindo a expressão que citei com exaustão em meu discurso – direcionarei ainda mais meus esforços para, ao lado de cada amigo liberal, promover a verdadeira revolução dos indivíduos que tanto precisamos.

Obrigado a todos que foram parte, direta e indireta, desta conquista! Contem comigo, pois contarei com vocês! Vamos a luta!

joao@iflry.org

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 10.0/10 (3 votes cast)
Um jovem liberal brasileiro na IFLRY, 10.0 out of 10 based on 3 ratings