O mensalão é de quem?

Há alguns minutos troquei mensagens mal humoradas com o @BlogdoNoblat via Twitter após mensagem sua onde falava sobre o que chama insistentemente de “Mensalão do DEM” e alguns novos fatos sobre o deputado Leonardo Prudente.

Não venho aqui querer bancar o moralista, moderador da imprensa ou querer ensinar o padre a rezar missa. Pelo contrário, exponho minha simples visão sobre os fatos e espero que vocês, leitores e formadores de opinião, tirem suas próprias conclusões.

O termo mensalão foi grafado pela primeira vez no dia 6 de junho de 2005 pelo jornal Folha de São Paulo ao narrar, por meio das denúncias do então deputado Roberto Jefferson, o esquema orquestrado pelo PT para garantir que as votações mais importantes do Congresso Nacional fossem direcionadas de acordo com os interesses do Palácio do Planalto – ou seja, do presidente Lula.

Em 2009 o termo voltou a mídia em um novo episódio: o governador Arruda preparou um esquema semelhante ao de 2005 onde, por intermédio de seu secretário de estado, distribuía recursos para sua base aliada.

Semelhanças: ambos foram corruptos, utilizavam-se de empresários e propinas para garantir votações favoráveis e foram desmascarados por gente que estava incluída no sistema.

Diferenças: em 2005 o Mensalão do PT era orquestrado por sua Executiva Nacional, envolvia todos os estados da federação e o partido mantém, até hoje, todos os seus líderes envolvidos no esquema. O de 2009 aconteceu em um único estado, dividiu sua direção entre os partidos da base governista do Distrito Federal, não envolveu outros estados e o Democratas prontamente tirou do partido não só o governador Arruda mas também o deputado Leonardo Prudente.

Aliás, deputado Leonardo Prudente, sem partido, que motivou o polêmico artigo do Noblat onde ele insiste em afirmar o nome “Mensalão do DEM”.

Agora é com vocês: o mensalão é de quem?

Encerro por aqui a minha visão sobre os fatos, acreditando ter explicado minha indignação, e aproveitando para dizer que não prego aqui que jornalista X ou Y é de partido A ou B. Pelo contrário: acho que todos têm seu direito de se manifestar politicamente. Desde que com ética e honestidade com o leitor, que não é burro nem inocente.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)

Seis formas divertidas de ser #DEMsemARRUDA e #ForaArruda

Tem a forma irônica positivista…

@vwerneck: #ForaArruda [Ironia: ON] Se o Roriz sempre consegue, você também Robertão! Vai pra cima deles! Rumo à reeleição! Arrudaaaa neles!!!

A crítica da “mídia golpista”…

@RafaelPops: Alô, Correio Braziliense! A mais nova da praça é a promoção: compre um jornal, leve um panetone! #ForaArruda!

A musical…

@yanicbraga: Só perdoo o Arruda se ele trouxer o AC/DC pro aniversário de Brasília. #foraarruda

A trágica…

@MookieBrasil: Arruda afirmou: “se isto vier a público, eu dou um tiro na cabeça.” Estamos aguardando… #ForaArruda

A educativa…

@lincolncarvalho: O Arruda se formou em Administração Pública na Uniban. #UnibanFacts #ForaArruda

E se nenhuma te agradou, faça como o xará Marcelo Arruda:

@moarruda_: Pronto, começou a zoação no meu sobrenome… #ForaArruda

Mas lembre-se: o importante é ir contra a impunidade, mostrar que não se deve colocar a sujeira de baixo do tapete como faz o PT e a direção majoritária da UNE e, principalmente, lutar por um Brasil mais ético!

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)