Quando a revolução vem da América Latina

Tenho andado um pouco afastado de minhas atividades neste Blog, como vocês já devem ter percebido, por conta de uma viagem que fiz a convite do Instituto Friedrich Naumann para Gummersbach, Alemanha, onde participo de um seminário para 24 lideres de todos os continentes com o tema “No Education, No Freedom”.

Por aqui, alem de debater politicas liberais que vem colaborando com o desenvolvimento educacional de diversos países periféricos, acabei por fazer uma serie de amigos e entender, ainda mais, a realidade mundial que, mesmo com toda a sua diversidade, cria viabilidades globais a partir de ideias locais.

Um dos exemplos é o caso indiano onde um think tank iniciou, sem a colaboração do governo, um programa de captação de recursos para implantar, por si mesmo, o sistema educacional de vouchers que consiste em oferecer um “vale-educacao” que pode ser utilizado pela família carente na escola de sua escolha – quebrando o monopólio governamental sobre o modelo pedagógico da rede publica. Ideia fantástica que, alias, pretendo levar para o Brasil.

Levarei de volta, alem disso, a esperança de novos dias para o cenário politico latino-americano uma vez que conheci por aqui verdadeiros revolucionários libertários, todos ligados a Rede Liberal Latino-americana (RELIAL).

São eles o militante estudantil costa-riquenho Sebastián, a jornalista boliviana Silvia e o ativista não governamental mexicano Eduardo, todos liberais com imensurável sentimento de renovação e, a cima de tudo, visão estratégica para promover as mudanças que nossa região tanto precisa.

Tenho a certeza de que, com o colapso socialista e a vitoria do liberal Sebastian Pinera para a presidência do Chile, a América Latina inicia, com seus jovens lideres, uma nova fase de liberdade e direitos humanos para o seu povo.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)

Libertários: à direita dos Democratas

Semana passada tive meu primeiro contato pessoal com os integrantes do Libertários (LIBER), o novo partido que tende a integrar o cenário político brasileiro nos próximos anos. São eles os ultra-liberais, dividos entre liberais clássicos, anarco-capitalistas e miniarquistas, que há tempos promoveram algumas discussões no site da Juventude Democratas.

As conversas foram interessantes… Fomos apresentados em um seminário do PSDB e logo de inicio recebi algumas indiretas de que o Democratas seria conservador demais para se considerar liberal. Achei engraçado… Na hora confesso que me senti um Tucano sendo considerado direitista pelo PT e esquerdista pelo DEM.

Nos próximos contatos tivemos a oportunidade de conversar melhor e achar diversos pontos em comum. Assumo que minha visão política acaba se aproximando bastante daquela que defendem os anarco-capitalistas, principalmente no tocante a liberdade do indivíduo, mas me considero um reformista.

Não acredito em mudanças bruscas, da noite para o dia. Não acredito que valha a pena sacrificar o curto prazo mesmo sabendo-se dos ganhos futuros. Devemos balancear… Saber dosar.

Mas acredito nos Libertários. Tem uma pureza política e ideológica invejável. O que falta a eles, no entanto, é um tom de realismo. Falta aliar aos seus objetivos também a prática política da negociação democrática. E isso não vai ser dificil. Já deram o passo mais complicado que é iniciar o trabalho.

Passei, a parti dali, a me considerar um admirador ainda maior da liberdade, da democracia e dos Libertários. Nós, como brasileiros ou democratas, temos muito a ganhar.

Para os interessados indico, além do site deles, os blogs em inglês dos professores Robert Paul Wolff, Hans Hoppe e Roderick Long, e em português do Instituto Ludwig Von Mises.

Aproveitem as leituras!

😉

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 9.2/10 (11 votes cast)

Democratas, Tucanos e Libertários por Minas Gerais

Acabo de chegar em Lavras retornando de viagem feita à Belo Horizonte para participar do Seminário de Formação Política da Fundação Konrad Adenauer, organização alemã que trabalha disseminando seus ideais democráticos pelo mundo.

O convite, que fiz questão de aceitar, partiu do recém empossado presidente da Juventude Tucana, Adriano de Faria, que tive o prazer de conhecer pessoalmente no evento. Ele, pessoa singular de absurda liderança e senso de humor, é a cara da renovação do PSDB. Alias, bem como é também o Gabriel de Azevedo, que também estava lá e ainda mencionou sua ‘saga’ contra o deputado dr. Rosinha.

No evento pude observar discussões fantásticas das mais diversas áreas do cenário político e ainda tive o prazer de moderar palestra do professor Leonardo Avritzer, orador e acadêmico fantástico do Departamento de Ciência Política da UFMG com diversas publicações no Brasil e Estados Unidos.

O seminário foi singular e não só pela excelente formação oferecida – ainda que fosse em cima da Social Democracia, modelo que não costumo seguir.

O seu grande marco foram os avanços políticos: estivemos nós, da Juventude Democratas, em contato direto com a Juventude Tucana e os Libertários – sobre os quais escreverei em breve. Somos grupos com idéias diferentes mas temos nossas semelhanças que garantirão, com toda certeza, fortes trabalhos conjuntos nos meses que se seguirão.

Aguardem as novidades, galera! Elas serão positivas e não serão poucas!

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)