Um típico mineiro do Rio de Janeiro

Na última sexta-feira tomei um ônibus a partir de Lavras, cidade de meu pai, com destino ao Rio de Janeiro onde encontraria com parte da minha família. Apesar de ser noite e as estradas estarem absurdamente escuras, pude rever algumas cidades as quais nunca mais havia visitado.

Passei pelo circuito das águas de São Lourenço e Cambuquira, pela altitude da sempre gelada Pouso Alto, pelas lembranças de Pelé em Três Corações… Um passeio fantástico.

No Rio, além de ver os familiares como sempre, resolvi repetir algumas ações – também nostálgicas – que há muito não fazia. Coisas simples, claro, mas que as vezes fazem falta como ler O Globo na Pedra do Arpoador tomando uma água-de-coco e seguindo com uma corrida pela orla até o Leblon que culmina em um banho de mar. Tudo isso com uma leve brisa em um sol de 35 graus.

A cidade estava maravilhosa mas, ainda assim, a melhor parte foi a das reflexões do retorno que me fizeram ter ainda mais certeza sobre uma verdade absoluta que conheci quando me mudei para Minas Gerais.

Voltei para São João del-Rei passando por Juiz de Fora, Barbacena, Barroso e Tiradentes. Cidades igualmente lindas, cada uma com a sua individualidade… Que provam, para quem as conhece bem como as demais do estado, a maior verdade do mineiro:

Triste é o mar por não poder banhar as Minas Gerais.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)

Sem pai nem mãe, rumo à 2010

O Partido dos Trabalhadores conseguiu atingir um cenário tão complicado que não se pode confiar nem em seu processo eleitoral interno. E isso não é golpismo da oposição ou factóide inventado pela mídia golpista, como eles gostam de falar.

Partiu de Gleber Naime, candidato a presidência ao PT-MG, que, alinhado ao pré-candidato ao Governo do Estado Patrus Ananias, não é crédulo da lisura do processo eleitoral que indica tendência a vitória do deputado federal Reginaldo Lopes.

O processo, segundo Naime, “foi marcado em Minas por centenas de ocorrências policiais”.

Pelo outro lado corre o atual presidente, deputado Reginaldo Lopes. Figura conhecida aqui pelas terras de São João del-Rei, nasceu em Bonsucesso e veio para cá estudar.

Formou-se, como meu (bem) antigo veterano, em Ciências Econômicas. Esteve, como eu, no DCE da UFSJ (a federal local, criada por influência de Aécio) e no Centro Acadêmico de nosso curso. Cheguei, inclusive, a compor mesa com ele em 2007 no encerramento da X Semana de Economia da UFSJ onde trocamos elogios – no tocante aos recursos direcionados para a universidade – e farpas – no tocante a visão sobre democracia.

É gente boa. Tem seus defeitos, é óbvio, mas é gente boa. Bem articulado e consegue conversar com todos os partidos, já tendo se aliado (e brigado posteriormente) com militantes da UJS/PCdoB e promovido composição que elegeu um prefeito do PSDB com vice do PT.

Fez tudo isso curiosamente na cidade do tucano Aécio, amigo de Fernando Pimentel – candidato de Reginaldo Lopes ao Governo do Estado – que se juntou ao PT, desta turma, para eleger Marcio Lacerda (PSB) para a Prefeitura de BH.

Ah sim!
… Aécio, por incrível que pareça, é aquele mesmo que é apoiado nacionalmente pelo DEM para a candidatura a presidência da República contra Dilma, do PT.

Façam suas apostas sobre o cenário de 2010 porque para mim nunca na história deste país (sic) esteve tão confuso.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)